Genéricos Referência Similar

O que você precisa saber sobre antibióticos e tipos de medicamentos

30 de Novembro, 2015

O nosso corpo abriga uma enorme quantidade de micro-organismos. Um grupo deles é formado pelas bactérias, importantes para manter nossas funções vitais em equilíbrio e, também, combater outro grupo de bactérias, as patogênicas, responsáveis pelas doenças. É aí que entram os antibióticos, que fortalecem o nosso organismo durante essa “batalha” contra as bactérias “do mal”1.

Os antibióticos possuem duas propriedades importantes: os que são conhecidos como bacteriostáticos impedem o crescimento de bactérias; já os chamados bactericidas matam este invasor2. Por isso, o medicamento é um dos nossos maiores aliados contra alguns tipos de pneumonias e menigites, e infecções urinárias por exemplo 3,4.

Os antibióticos são específicos para as bactérias, que por sua vez causam uma doença específica. Existem várias bactérias patogênicas e é por isso que você encontra muitos tipos de antibióticos, com diferentes princípios Statuss4.

Genéricos, similares, de marca... Quais as principais diferenças?
O mercado farmacêutico brasileiro possui três categorias de medicamentos: os genéricos, os similares e os de marca ou de referência5. Conheça as diferenças e converse com seu médico para fazer a melhor escolha:

Genéricos – É aquele que é intercambiável com o medicamento de referência e não possui nome comercial, somente o nome do princípio Status7. Os genéricos apresentam, abaixo do princípio Status, a frase "medicamento genérico – Lei 9.787/99"5.

Similares – medicamentos testados como os genéricos, também devem comprovar bioequivalência.6 Para saber que é similar, a embalagem do medicamento possui uma marca comercial ou o nome do laboratório fabricante agregado ao princípio Status5

Remédios de marca ou de referência – são medicamentos inovadores5,8 e detêm marcas conhecidas5,7, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas.5,8 São eles que servem de base aos genéricos e similares. 5-8

Não se esqueça: seja qual for o tipo de medicamento receitado, siga à risca as orientações médicas e complete o tratamento.

Antibiótico é coisa séria. Respeite sua receita.
 

Deixe um comentário
    1. ESCOBAR, A. Duas dúvidas: como tomar antibióticos e não criar resistência? Quem cria resistência: a bactéria ou a pessoa? Disponível em: <http://www.draanaescobar.com.br/dicas-da-dra-ana/duvidas/nao-criar-resistencia-a-antibioticos/>. Acesso em: 18 set. 2015.
     
    2.GUIMARÃES, DO. et al. Antibióticos: importância terapêutica e perspectivas para a descoberta e desenvolvimento de novos agentes. 2010. Departamento de Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/qn/v33n3/35.pdf>. Acesso em: 18 set. 2015.
     
    3. MATOS, CRC. Resistência bacteriana aos antibióticos como um problema de saúde pública - o papel do farmacêutico enquanto promotor de saúde. Disponível em: <http://recil.grupolusofona.pt/bitstream/handle/10437/3072/Matos.pdf?sequence=1>. Acesso em: 18 set. 2015.
     
    4. ESCOBAR, A. Uma dúvida: o antibiótico que serve para uma infecção de garganta pode combater outras infecções, como urinária ou de pele? Disponível em: <http://www.draanaescobar.com.br/dicas-da-dra-ana/duvidas/antibiotico-para-infeccao-de-garganta/>. Acesso em: 18 set. 2015.
     
    5.BRASIL. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Diferenças entre embalagem de genérico e similar. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/100300.htm>. Acesso em: 18 set. 2015.
    6.CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DE MATO GROSSO DO SUL. Qual a diferença entre medicamento de referência, similar e genérico? Disponível em: <http://www.crfms.org.br/noticias/similar-com-status-de-generico/2604-qual-a-diferenca-entre-medicamento-de-Referencias-similar-e-generico>. Acesso em: 18 set. 2015.
     
    7. BRASIL. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Perguntas frequentes: Cidadão. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/hotsite/genericos/faq/cidadao.htm#9>. Acesso em: 18 set. 2015.

    8. BRASIL. ANVISA. Resolução - RDC nº- 135, de 29 de maio de 2003. Dísponível em: <http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucao_sanitaria/135.pdf>. Acesso em: 22 set. 2015.

    BR/ANB/0079/15o

Posts relacionados

Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe um comentário

Post anterior

Resistência bacteriana: o mal do século

Próximo Post

O que fazer quando a adenoide provoca transtornos à criança