Médica Prescrição Receita

Muito além de um pedaço de papel

12 de Outubro, 2014

A prescrição não é apenas um papel em que o médico anota o remédio que o paciente deve tomar.1,2

Ela é resultado de uma análise detalhada de exames clínicos, interpretação dos sintomas, investigação de doenças concomitantes, do relato de possíveis efeitos adversos relacionados ao uso de algum fármaco no passado. A partir disso, o médico escolherá a terapêutica mais segura, específica e efetiva para o paciente1,2.

O ato de prescrever, elaborar a receita, repassar as informações referentes ao medicamento, explicitar a duração do tratamento, a forma de armazenamento do produto e monitorar o tratamento, juntamente com uma dispensação adequada – quando o farmacêutico também informa e orienta sobre o uso adequado do remédio recomendado –, são essenciais para alcançar o sucesso terapêutico1,3,4.

Para isso, o profissional tem a responsabilidade de compor uma prescrição que transmita as informações, de forma completa e clara, a todos que farão uso dela1.

O papel do paciente

O paciente é a peça-chave no processo da prescrição, afinal, antes que esta aconteça, é preciso que o mesmo se sinta comprometido com sua saúde, pois só assim irá buscar a ajuda de um profissional qualificado1.

Cabe ao paciente aderir ao tratamento, seguindo corretamente as recomendações de uso do fármaco, bem como as possíveis medidas não medicamentosas, que também contribuem para melhorar a sua condição de saúde1,3.
 
Para isso, ele não pode ter dúvidas. É fundamental que todas sejam esclarecidas, pois a eficácia do tratamento depende da sua compreensão sobre a doença e da terapia recomendada para que os resultados não sejam comprometidos5.
 

Deixe um comentário

Posts relacionados

Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe um comentário

Post anterior

Como funcionam os antibióticos

Próximo Post

Antibiótico x resistência bacteriana