Automedicação Saúde Uso racional

A automedicação pode se tornar uma grande dor de cabeça

23 de Dezembro, 2014

Febre, dor de cabeça e dor no corpo são sintomas que, vira e mexe, aparecem na gente. É comum, nessas horas, corrermos até a farmácia para comprar um medicamento que resolva o problema, motivado pela indicação de um amigo ou parente, pela vontade de livrar-se rapidamente do incômodo, pela facilidade de comprar alguns remédios sem receita médica ou odontológica ou até mesmo pela mídia1,2.

Mas o que parece inofensivo pode se tornar perigoso pra valer. Tomar um remédio por conta própria, pode causar mais danos do que benefícios à saúde1.

O uso incorreto de medicamentos pode: agravar uma doença, pois acaba escondendo alguns sintomas; anular ou potencializar a ação de outro fármaco em uso concomitante; causar reações alérgicas, dependência e até morte3.

A automedicação também é responsável por uma grande parte das intoxicações registradas no país, e os medicamentos mais utilizados por conta própria – analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios – são os maiores responsáveis por isso1.

No Brasil, existe regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a venda e propaganda de medicamentos que não precisam de receita para ser adquiridos. A decisão de tomá-los é sua, mas isso não quer dizer que você pode fazê-lo da maneira que achar mais conveniente2.

A automedicação é considerada uma forma de não adesão às recomendações médicas2. Por isso, não arrisque a sua saúde, tome remédios somente com orientação.
Antibiótico é coisa séria. Respeite sua receita.

Deixe um comentário

Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe um comentário

Post anterior

Como todo remédio, antibióticos também podem causar efeitos colaterais

Próximo Post

Antibióticos à mesa: alimentos com ação natural antimicrobiana